How to do it with TULIP

Compartir:

“How to do it with Tulip” é uma nova série de tutoriais, pensada para mostrar um pouco do potencial deste interface para o desenvolvimento de aplicações industriais. Neste artigo vamos mostrar-lhe como digitalizar o controlo de qualidade e analisar o tempo de ciclo numa fábrica têxtil.  

Cliente

Fábrica têxtil

Objetivo

Digitalizar o controlo de qualidade e analisar o tempo de ciclo de um posto de trabalho

Necessita:

1 instância TULIP

1 leitor de código de barras

1 portátil ou tablet

15 minutos do seu tempo

TULIP – o que oferece?

Costumamos fazer referência a TULIP como sendo o melhor exemplo da democratização da digitalização industrial. Os motivos são muitos, mas entre eles destacamos dois:

  • é uma plataforma DYI (do it yourself) onde pode criar as suas próprias aplicações
  • não precisa de ter conhecimentos de programação.

No entanto, a TULIP proporciona outros benefícios tais como o empoderamento do operário e melhorias na produtividade.

Vamos ao desafio!

A partir do ambiente de configuração de TULIP, vamos criar a nossa APP e o nosso primeiro STEP (passo), que, neste caso, será a identificação do usuário:

No passo número 2, pediremos o número de Lote. Temos duas opções, fazer o scan do código de barras ou introduzir manualmente o número de lote do artigo.

Aproveitaremos a fácil conectividade de TULIP e vamos conectar o nosso leitor de código de barras ao PC (ou tablet) do usuário. De seguida, vamos definir a acção que se produzirá ao ler o código de barras. Trata-se de seguir a lógica IFTT (If This Than That..), ou seja “se EVENTO, então ACÇÃO…”. Neste caso sería: “Se o dispositivo de código de barras nos envia um código de barras…então guardamos esse valor na nossa variável que se chama LOTE”.

Esta lógica pode ser facilmente configurada:

No passo número 2 vamos aproveitar para adiantar trabalho e criaremos já as variáveis que vão ser necessárias. Neste caso: número de defeitos na gola + número de defeitos de etiqueta + número de defeitos na manga esquerda + número de defeitos na manga direita + número de defeitos nos botões

Para tal, vamos ao separador “variáveis” e criamos as nossas:

Agora vamos criar um ambiente visual de fácil compreensão e designaremos botões em cada zona de defeito:

Em cada botão incrementamos o número de defeitos dessa zona em concreto 👇

A lógica é: “Quando se pressiona o botão de defeito…aumenta a variável de defeito em 1 unidade”. Acrescentamos o botão “Verificado” para terminar de configurar as variáveis da nossa aplicação.

Em cada passo criado, vamos também acrescentar o seu correspondente tempo de ciclo standard:

Este passo é muito importante já que nos permitirá analisar mais tarde o tempo de ciclo real do nosso processo de controlo de qualidade e compará-lo com o standard que temos definido (ou que deveríamos ter definido!). Neste caso, devemos clicar na parte superior direita em “step cycle time” e definir um tempo standard.

Já temos a nossa aplicação pronta para que o/a operário/a da nossa linha de controlo de qualidade possa utilizá-la. Falta-nos apenas executar a APP no terminal de controlo.

No entanto, a magía de TULIP não fica por aqui. No Dashboard de supervisão, podemos desenhar d eforma rápida a nossa análise de defeitos totais, defeitos por lote, tempo de ciclo por operário/a, etc. Vamos apresentar-lhes um pequeno exemplo:

Vamos analisar o tempo de ciclo de cada operário/a em cada um dos passos da aplicação. Para isso, no ambiente de análise e desenvolvimento de TULIP, acedemos a Dashboards e criamos o nosso primeiro Widget:

Utilizamos o Wizard e seleccionamos”Average Step Times by User“. Temos o nosso primeiro widget no qual se pode analisar o tempo de ciclo dos usuários que utilizaram a aplicação VS o tempo de ciclo standard do processo:

Vamos agora analisar o número total de defeitos. Vamos adicionar também o “número total de artigos controlados” e o “número de defeitos”:

Objetivo cumprido!

Em 15 minutos desenvolvemos uma aplicação de controlo de qualidade e tempo de ciclo de processo sem conhecimentos de programação.

A partir daqui, podemos aumentar a conectividade com outros dispositivos, integrar informação de bases de dados, etc…mas isso ficará para outro tutorial.

Mais informação sobre TULIP, aqui: https://tulip.co/

Compartir:

Outros projetos que podem ser do seu interesse

Digitalizar uma auditoria 5S

5S é uma metodologia do Lean Manufacturing e uma prática sistemática de organização do espaço de trabalho, baseada na ideia de que um melhor espaço

Conversa com Alison Russell

Costumámos dizer que a plataforma TULIP veio democratizar o desenvolvimento de aplicações industriais, já que se podem construir aplicações sem necessidade de programar. Efetivamente, TULIP

Sistemas Pick by Light

Erros no picking? Os sistemas Pick by Light são uma ferramente útil para aumentar o fluxo dentro do armazém. Os sistemas de Pick by Light

Receba notícias e mantenha-se atualizado sobre o sector

Al enviar acepto suscribirme a la newsletter y las políticas de privacidad de BAÜP